Você já parou para pensar em como uma assessoria em saúde ocupacional pode facilitar sua vida? Ela é fundamental tanto para o bem-estar dos funcionários quanto para os resultados financeiros da empresa.

Uma gestão que não está atenta às doenças ocupacionais e acidentes de trabalho pode enfrentar, como consequência, além de perdas operacionais e de produtividade, longos processos cíveis e penais decorrentes de ações trabalhistas. Mas ninguém quer chegar a esse ponto, não é mesmo?

Neste post, mostramos a importância de uma assessoria em saúde ocupacional. Confira!

Assessoria em saúde ocupacional

A saúde ocupacional, como o nome já induz, lida com a saúde dos trabalhadores. A assessoria vai promover ações para:

  • prevenção de doenças;
  • diminuição do absenteísmo;
  • redução de acidentes de trabalho;
  • aumento da satisfação, produtividade e qualidade de vida;
  • diminuição dos custos com plano de saúde.

Em primeiro lugar, a assessoria em saúde ocupacional faz um levantamento do histórico da organização, compreendendo tudo o que já foi proposto e o que vem sendo realizado. A análise desses dados é o primeiro passo para a elaboração de um plano de ação eficaz.

Elaboração do plano de ação

Após compreender como a saúde da organização está, é verificada a legislação — conforme a NR-7 (norma que estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional — PCMSO), para analisar o que está sendo feito corretamente e o que precisa ser modificado.

A elaboração e coordenação do plano de ação, em conjunto com a área médica da empresa, vai apontar quais estratégias devem ser utilizadas e onde a assessoria poderá contribuir para a melhoria da saúde ocupacional, como, por exemplo:

  • realização e melhor gestão dos dados extraídos dos exames clínicos ocupacionais — admissionais, periódicos, demissionais, mudança de função e retorno ao trabalho;
  • realização e melhor gestão das informações coletadas através dos exames médicos complementares e assistenciais;
  • estudos de absenteísmo;
  • Programa de Prevenção ao Abuso de Álcool e Drogas (PPAAD);
  • treinamentos obrigatórios e de sensibilização a trabalhadores e gestores;
  • gestão e operação de ambulatórios empresariais (terceirização) — administração, gestão e operação por parte de equipe especializada, formada por especialistas em medicina do trabalho, médicos assistentes e técnicos de enfermagem;
  • atuação como assistente técnico em perícias médicas e previdenciárias.

Para facilitar ainda mais, os atendimentos são realizados na sede do cliente, na sede da empresa ou, dependendo do caso, em clínicas credenciadas.

Implantação e execução do plano de ação

Com uma análise completa de como a organização está lidando com a saúde ocupacional dos seus trabalhadores, é executado/implementado o plano de ação. Ele é o responsável pela criação de um passo a passo para alcançar os resultados estabelecidos, bem como a realização de objetivos e metas.

Com esse estudo, em conjunto com a empresa, são elaboradas estratégias proveitosas, tanto para o bem-estar dos funcionários quanto para os resultados da organização.

Dependendo da maturidade da organização e da complexidade do plano, existem vários formatos/modelos a serem seguidos como os mais simples 5W2H ou até mesmo o 3W2H, passando pelo plano de ação com tabela RACI, com tabela dinâmica utilizando uma planilha eletrônica e automatizando já algumas análises, passando por planos que são compatíveis com a escola oriental como Kanban ou Hoshin Kanri. Mas isso podemos falar em outro post.

Mas, independentemente disso, a assessoria em saúde ocupacional vai auxiliar e acompanhar a execução do plano de ação, ajudando na busca dos melhores resultados.

Mensuração e monitoramento dos resultados

Não adianta apenas estudar a empresa, criar um planejamento estratégico e elaborar um plano de ação eficaz, se não houver a mensuração e o monitoramento dos resultados. Caso contrário, você terá apenas ações descritas em um papel sem acompanhamento e muita perda de tempo.

Além de verificar se as ações estão sendo concretizadas (monitoramento), é preciso estudar os resultados dessas ações. Com essa análise, é possível destacar as que deram certo ou não, as que precisam de aperfeiçoamento e as que precisam ser abortadas.

Resumindo, a assessoria em saúde ocupacional vai realizar um estudo sobre todas as ações necessárias e o que foi executado, apresentar os resultados alcançados e propor melhorias.

Quer saber mais sobre assessoria em saúde ocupacional? Entre em contato conosco!

Autor

Escreva um comentário

Share This