A segurança do trabalho na indústria consiste em um conjunto de regras que tem por objetivo evitar a ocorrência de acidentes e preservar a vida e a saúde dos trabalhadores desse setor. Isso deve fazer parte da preocupação do empregador porque proporciona uma série de benefícios.

A redução de riscos é alcançada com as práticas estabelecidas, o que diminui os acidentes e as doenças do trabalho e consequentemente os gastos da empresa com saúde laboral e encargos trabalhistas. Além disso, a corporação passa a ter mais credibilidade no mercado, sendo conhecida por seu respeito e preocupação com os funcionários.

Neste texto, trouxemos 5 das principais práticas de segurança do trabalho na indústria para ajudar você a se preparar. Boa leitura!

1. Contrate um profissional ou uma equipe especializada

Em todos os setores de atividades, as empresas devem ter um quadro de funcionários especializados em segurança trabalhista. Isso é ainda mais importante na indústria, pois muitas atividades envolvem diferentes ameaças à integridade das pessoas.

Assim, os responsáveis pela segurança devem ter conhecimento das normas regulamentadoras estabelecidas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego. Um exemplo delas é a NR 12, que determina medidas para lidar com máquinas e equipamentos, evitando acidentes que coloquem em risco o trabalhador e possíveis danos ao maquinário.

Assim, dependendo do número de contratados e do grau de risco das atividades desenvolvidas, a corporação deve contar com um mínimo de pessoal próprio para o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT). Esses profissionais são técnicos, engenheiros e auxiliares de segurança do trabalho, enfermeiros e médicos do trabalho.

2. Faça um levantamento dos riscos

A prevenção é a melhor forma de garantir um ambiente laboral harmônico e saudável. Devido a isso, é necessário fazer um levantamento do que pode eventualmente causar acidentes ou problemas de saúde.

Assim, deve ser feita uma análise preliminar de risco que considere possíveis agentes químicos e biológicos no local; falta de sinalização em determinados pontos; ventilação e iluminação insuficiente ou inapropriada; risco de queda, esmagamento, choque elétrico, entre outros.

Também é preciso que a equipe de segurança realize entrevistas com os colaboradores e supervisores para entender as condições de trabalho, saber se o uso de equipamentos e o respeito às regras são costumes entre eles e se há queixas ou sugestões a respeito desse tópico.

Além disso, é preciso analisar todos os dados colhidos para saber quais são as melhorias necessárias para a otimização da segurança do trabalho. Para isso, os profissionais devem contar com o uso de tecnologia que facilite esse processo, armazenando informações de forma automática e gerando resultados diminuindo a possibilidade de erro humano.

3. Invista em treinamentos

Mesmo que a empresa procure respeitar as medidas de segurança necessárias para a indústria, não é possível alcançar o objetivo desejado sem que os colaboradores entendam a importância disso.

Por isso, a manutenção de treinamentos periódicos é uma forma de tornar a prevenção uma parte natural do dia a dia laboral. Os treinamentos de segurança do trabalho ensinam os funcionários a detectarem e analisarem riscos que possam surgir na execução de uma atividade. Isso evita que acidentes possam ocorrer e diminui os gastos para tratar problemas de saúde e eventuais recuperações de equipamentos.

Essa prática também promove o uso contínuo de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs), como capacetes, botas, luvas, cintos de segurança e linhas de vida. Muitas vezes, alguns funcionários, principalmente aqueles que trabalham há muito tempo na área, têm o hábito errado de não usar proteção por julgarem não ser necessário ou por acharem incômodo.

Além disso, a conscientização evita o surgimento de doenças laborais, diminuindo o absenteísmo para tratamento médico. Por esse motivo, situações como afastamento por auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez também são reduzidas.

A retenção dos empregados é outro aspecto afetado. Com a promoção da formação de uma equipe experiente, maiores gastos com contratação e período de adaptação de novos talentos são evitados.

4. Sinalize os locais de risco

A sinalização de segurança é uma forma de avisar funcionários, gestores e até visitantes sobre eventuais riscos presentes em um local. Esses avisos podem ser visuais ou sonoros e são muito importantes tanto para atividades corriqueiras quanto para o surgimento de situações emergenciais.

Por meio de placas com setas, é possível indicar o local apropriado para deslocamentos, uma rota de fuga e equipamentos emergenciais para ajudar na saída rápida durante uma emergência, como alagamentos, desabamentos, vazamentos de gás, incêndios e explosões.

Durante a rotina do trabalho, a sinalização também indica se uma área requer o uso de EPIs específicos para evitar que acidentes ocorram caso eles não sejam usados. Certos locais são proibidos para pessoas que não trabalhem ali — e o uso de alertas visuais serve, ainda, para isso.

Com essa parte funcionando adequadamente, a saída de locais de risco é facilitada pelas luzes emergenciais que são preparadas para operar, inclusive, quando há queda de energia.

5. Faça inspeções regulares

Mesmo com o respeito a todas as normas por parte da empresa, levando em consideração a segurança e o bem-estar das equipes, é necessário fazer inspeções para verificar se os colaboradores estão seguindo o que foi proposto nas orientações e nos treinamentos.

Nesse sentido, vale a pena estabelecer métricas específicas para a avaliação de cada time, oferecendo recompensas para aqueles que tiverem o melhor desempenho. Alguns indicadores que podem ajudar no cumprimento das metas são o número de acidentes por setor, os gastos com multas, as despesas médicas relacionadas às atividades laborais, o número de empregados afastados devido a acidentes e as irregularidades encontradas durante as inspeções.

Pronto! Agora você já tem uma ideia de como funciona a segurança do trabalho na indústria, quais são as principais medidas para garantir um ambiente de trabalho seguro e qual sua importância para o funcionamento de uma corporação. Tenha em mente que, para garantir todos os benefícios, pode ser necessário contar com uma empresa especializada em gestão de riscos, segurança do trabalho e saúde laboral. Além disso, ela pode colaborar na elaboração de planos e na implantação de medidas.

Gostou deste conteúdo? Então, conheça o site da SAFE, uma empresa especializada em gestão de riscos que oferece diferentes soluções para seus clientes!

Se você se interessou por esse assunto, acesse nosso blog onde poderá encontrar outros artigos relacionados a Segurança do Trabalho, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente. Se quiser entrar em contato direto conosco, clique aqui.

Autor

Escreva um comentário

Share This