O gerenciamento de resíduos sólidos é uma ferramenta importante para a diminuição dos impactos ambientais produzidos pela população de uma cidade. A destinação correta de recicláveis e orgânicos aumenta a vida útil dos aterros sanitários, diminui a pegada ecológica e movimenta a economia, gerando novos produtos, energia e adubo.

Para garantir o manejo correto dos resíduos, a Lei 12.305/2010 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), regulamentada no decreto 7.404/2010. Ela coloca como obrigatória a formulação de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) por empresas privadas e órgãos públicos.

O Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS) define como o gerenciamento deve ser feito em cada município. Continue lendo para entender mais sobre o PGRS.

Criando um Plano de Gestão de Resíduos Sólidos eficiente para a sua indústria

Agora que você já sabe o que é um Plano de Gestão Resíduos Sólidos e a sua importância, veja quais são as medidas que você deve adotar para criar um bom PGRS para a sua empresa e indústria.

Contração de profissionais e empresas especializadas

O primeiro passo adotado deve ser a organização e a contratação de profissionais experientes e competentes para pensar e executar este plano de gerenciamento. Uma equipe multidisciplinar é bem-vinda, assim como contratação de escritórios já com experiência no mercado e alguns trabalhos já realizados neste sentido. Entre os profissionais indicados, temos engenheiros e arquitetos, que estão aptos para o desafio.

Diagnóstico local

Posteriormente, deve-se fazer um diagnóstico do local. Isto é, verifica-se as condições da indústria em relação a odores, poluição visual, contaminação de leitos próximos, presença de vetores de doenças e de materiais tóxicos no solo.

Esta etapa é crucial para o sucesso do projeto e do gerenciamento do lixo na indústria, pois a partir deste diagnóstico serão elencadas as potencialidade — aquilo que a indústria já consegue fazer com a questão do lixo de forma satisfatória — e os problemas, que devem receber maior atenção a fim de solucionar e amenizar o problema dos resíduos sólidos.

Informação e treinamento

Para que o plano de gerenciamento de resíduos sólidos seja colocado em prática, os funcionários e clientes precisam estar cientes de como fazer o descarte. A educação ambiental é crucial para o sucesso do plano, uma vez que todos os indivíduos estão envolvidos.

O manuseio do material recolhido deve ser feito por profissionais treinados que conhecem as rotas de transporte, assim como a maneira correta de lidar com cada recipiente, reduzindo os riscos de acidentes.

Se ao lidar com descarte hospitalar um funcionário entra em contato com uma seringa usada, por exemplo, isso pode acarretar em lesões e transmissão de doenças, gerando multas e ressarcimentos pelo empregador, assim como efeitos negativos em sua imagem. Se as normas de segurança do PGRS são seguidas, este tipo de transtorno pode ser evitado.

Separação, acondicionamento e transporte

Cada material deve ser acondicionado, transportado e destinado de acordo com sua periculosidade, composição e funcionalidade. Uma vez misturados, a separação será um trabalho extra e pode apresentar riscos para as pessoas envolvidas.

Para fins de reciclagem, o gerenciamento de resíduos sólidos é essencial para garantir a utilidade do material. Papel, por exemplo, não será um material reciclável se estiver engordurado ou se tiver contato com líquidos que o contaminem. O correto é já descartar de forma organizada, com recipientes determinados para metal, plástico, papel, vidro, orgânicos, eletrônicos e rejeito.

Verificar as condições legais e separação do lixo para coleta seletiva

Após essa etapa de diagnóstico, deve-se verificar as condições legais, pois o PGRS da indústria deve seguir as diretrizes de leis estaduais e municipais que tratam da questão.

Posteriormente, deve-se propor uma separação do lixo de acordo com os materiais. Essa tática deve ser implementada de forma gradual e é necessário um programa de educação para acostumar os empregados a esta nova realidade.

Definir meta de ações

Também é necessário definir metas e ações para a gestão de resíduos industriais, de forma a ampliar e potencializar o descarte de forma segura, reduzindo a produção do resíduo, aumentando a reutilização e reciclagem de materiais.

Há quatro prazos em que as metas são estipuladas: prazo imediato, curto prazo, médio e longo. As metas para cada um deles são diferentes e a indústria e o PGRS devem propor sempre uma evolução na questão do resíduo.

Determinar indicadores e validação

Como saber que o PGRS está no caminho certo? Para isso, devem ser definidos indicadores claros e objetivos para que seja analisada a eficácia do planejamento.

Por fim, a última etapa é a validação do PGRS em conjunto entre a indústria e os funcionários. O programa precisa ser entendido e abraçado por todos, caso contrário, a sua eficiência fica comprometida. Por isso, é indicado que os funcionários participem do processo e sejam ouvidos para a realização do PGRS.

Benefícios e penalidades

Materiais aparentemente obsoletos podem se tornar úteis por meio do tratamento e gerar retorno financeiro. Orgânicos são matéria-prima para geração de adubo e energia, óleo de cozinha usado e materiais eletrônicos estragados são recolhidos, as vezes gratuitamente, por empresas especializadas em seu reaproveitamento.

Se você acha que a economia ecológica não é um apelo para a sua empresa, lembre-se de que os consumidores estão cada vez mais conscientes nas questões ambientais. Marcas consideradas inimigas do meio ambiente são preteridas àquelas que se promovem como sustentáveis. Não entregar, atualizar ou cumprir o PGRS pode implicar em sanções, multas, interdições e até mesmo detenção.

Veja quais são as empresas obrigadas por lei a apresentar um plano de gerenciamento dos resíduos sólidos

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos e legislação vigente, a elaboração do PGRS é obrigatório para determinados segmentos industriais e empresas, como por exemplo, estabelecimentos comerciais de médio e grande porte, empresas da construção civil, empresas de prestação de serviço para saneamento básico, hospitais, clínicas e demais empresas ligadas a área da saúde

Sendo assim, respeite a legislação e faça um gerenciamento de resíduos sólidos eficiente, seguro e ecológico. A empresa, a cidade e o planeta só têm a ganhar com isso. Deixe para trás o conceito de lixo e seja mais um administrador pioneiro na era do reaproveitamento e da reciclagem.

Se gostou desse artigo, que tal conhecer algumas dicas para ações do dia a dia do meio ambiente durarem o ano todo?

Autor

Escreva um comentário

Share This