Acidentes de trabalho na construção civil: sabia que é o setor mais propenso?

A realidade do setor de construção civil se destaca negativamente por um elevado índice de acidentes de trabalho e grande incidência de óbitos. As obras são ambientes de risco para os profissionais, logo, é imprescindível adotar estratégias para resguardar a equipe de ocorrências e danos à saúde ocupacional.

Mas as probabilidades de acidentes de trabalho na construção civil podem ser menores caso alguns cuidados sejam tomados e haja direcionamento das medidas adequadas.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo especial, mostrando estatísticas e medidas preventivas para tentar evitar acidentes de trabalho na construção civil. Veja mais!

Quais são os principais dados de acidentes de trabalho na construção civil?

De acordo com informações coletadas pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, entre 2012 e 2018, no Brasil, aconteceram cerca de 4,4 milhões de acidentes de trabalho. Desses, 97 mil foram na construção civil. Ainda, dos 31,9 mil acidentes com óbito, 2.666 foram no setor da construção. 

Em 2012, houve 456 registros de morte nessa área, que passou para um índice de 381 mortes em 2015 e alcançou o total de 325 falecimentos por acidentes em 2018. Aqui, é possível notar que há uma relativa redução. Mas esses indicadores ainda são muito elevados. 

Nesse sentido, os acidentes de trabalho mais comuns na construção civil são as quedas de alturas, os cortes e lacerações pelo manuseio de objetos e equipamentos afiados e as lesões por esforços repetitivos, especialmente para os furadores de pedra (operadores de britadeiras). 

Além disso, acrescentamos também os danos auditivos pela exposição ao som alto por tempo prolongado e às picadas por animais peçonhentos.

Como evitar acidentes de trabalho na construção civil?

Há diversas estratégias preventivas que ajudam a minimizar os riscos de ocorrência de acidentes de trabalho na construção civil. A seguir, mostraremos os principais cuidados. Acompanhe!

Uso de EPIs

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) possibilitam minimizar impactos e aumentar o tempo de resposta diante de alguma ocorrência grave. Os protetores auriculares, por exemplo, permitem evitar danos à audição dos profissionais que lidam com equipamentos que emitem muito ruído. Há ainda os talabartes, conectados às linhas de vida, capacetes e botas que também são imprescindíveis. 

Sendo assim, a disponibilização desses materiais para os profissionais é obrigação da empresa e, caso haja recusa no uso, o colaborador pode ser demitido por justa causa. Ainda, é importante destacar também que os gestores da obra devem ter mecanismos para fiscalização da adesão ao uso de EPIs. 

Seguimento das normas da NR 18

Os EPIs são essenciais, mas há outros itens que merecem grande atenção. Nesse sentido, as proteções coletivas (EPCs) e a organização do sistema e do fluxo de trabalho são grandes fatores de influência para maior segurança na obra.

Para isso, há normativas governamentais, dentre elas a NR 18, que especifica todos os padrões e cuidados necessários em um canteiro de obras. Essa norma regulamentadora contém 27 capítulos, que detalham os padrões de segurança do trabalho em termos dos diversos processos e materiais operados na construção civil, como demolições, estruturas de aço, concreto e metálicas, andaimes, alvenaria e instalações elétricas.

Criação de uma CIPA

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) permite tornar a obra mais segura, uma vez que estrutura um corpo profissional especializado, diretamente encarregado de calcular os possíveis riscos e implementar uma política preventiva. Dessa forma, as probabilidades de acidentes se tornam menores.

Ocorre que os acidentes de trabalho na construção civil são extremamente comuns. Logo, por ser um ambiente perigoso, é importante criar estratégias de gestão de riscos para proporcionar condições de proteção à equipe no canteiro de obras. 

Nesse caso, é essencial contar com uma empresa especializada para ajudar a evitar os acidentes de trabalho na construção civil. A SAFE pode ser uma ótima parceira nesse sentido. 

Nossa proposta é transformar riscos de saúde ocupacional, segurança do trabalho e meio ambiente em resultados institucionais, operacionais e financeiros. Para tanto, realizamos a gestão de riscos, consultoria, assessoria, treinamentos e assistência pericial em saúde ocupacional, segurança do trabalho e meio ambiente. Aproveite e entre em contato com a SAFE!

Caso você queira saber mais sobre a SAFE, visite nosso site no endereço www.safesst.com.br.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.