O Brasil é o quarto país com maior índice de acidentes de trabalho. Além disso, as doenças ocupacionais também se destacam como um grande problema para a saúde pública nacional e para as empresas e trabalhadores. É por isso que saúde e segurança do trabalho são elementos tão importantes para qualquer organização, afinal, é papel de todos combater essa grave situação.

Tratando especificamente das doenças ocupacionais, é importante lembrar que elas podem ser tanto físicas quanto psicológicas. Isso porque estresse, sobrecarga, insegurança e outros elementos relacionados à organização do trabalho podem desencadear problemas mentais que afetam a vida dos trabalhadores.

Inclusive, esse tipo de transtorno está crescendo em quantidade de notificações no país, devendo ser analisado juntamente com as doenças físicas. Quer saber mais sobre doenças ocupacionais e como preveni-las na sua empresa? Então, continue a leitura e descubra!

O que são doenças ocupacionais

As doenças ocupacionais são definidas como qualquer tipo de transtorno ou problema, de ordem física ou mental, que acomete os trabalhadores. Além disso, é importante lembrar que existe uma causalidade entre a atividade realizada dentro da empresa e a doença apresentada.

Assim, elas podem ser divididas em dois principais tipos:

  • doenças profissionais: causadas pela atividade realizada pelo colaborador, como movimentos repetitivos ou exposição a agentes tóxicos, por exemplo;
  • doenças do trabalho: causadas pela situação na qual o trabalho é realizado ou organizado nas atividades da empresa, como sobrecarga, ruídos excessivos, problemas de relacionamento, entre outros.

As principais doenças ocupacionais no Brasil

Para atuar na prevenção de doenças ocupacionais é essencial que você entenda que transtornos são esses que podem acometer os seus colaboradores. Confira!

LER/DORT

Apesar de serem doenças diferentes, a LER (Lesão por Esforço Repetitivo) e a DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) estão intimamente relacionadas.

A LER é um tipo de lesão causada pela repetição de determinado movimento diversas vezes ao longo da jornada de trabalho. Ela ficou bastante conhecida por acometer muitos trabalhadores que utilizam computador para realizar as suas atividades, principalmente os funcionários de bancos. Nesse caso, há comprometimento das articulações e músculos do punho e braços, o que causa dor intensa e limitação de movimentos.

Já a DORT é uma lesão dos ossos e músculos, geralmente da coluna, causada por postura inadequada ou pelo fato do trabalhador ficar na mesma posição durante toda a jornada. Assim, LER e DORT podem aparecer juntas nos trabalhadores, uma vez que têm origem semelhante.

Logo, é importante lembrar também que, uma vez instalada, a doença não passa quando o trabalhador para de trabalhar, o que significa que ela pode acompanhar o profissional pelo resto da vida e, inclusive, levar à invalidez.

Depressão e ansiedade

A depressão e a ansiedade são dois transtornos mentais que podem ser desenvolvidos devido ao ambiente e à organização do trabalho dentro de uma empresa.

Enquanto a primeira está muito relacionada à tristeza, ausência de prazer nas atividades e perda de interesse, a ansiedade está mais ligada à preocupação excessiva, irritabilidade e, até mesmo, sintomas físicos, como taquicardia e sensação de morte iminente, mesmo sem nenhum estímulo aversivo.

Apesar de serem diferentes, essas duas doenças podem vir combinadas, o que intensifica os problemas que elas geram para o lado profissional e pessoal do trabalhador. Além disso, vale destacar que, mesmo quando desenvolvida devido ao ambiente de trabalho, depressão e ansiedade se estendem para outras situações da vida do trabalhador, inclusive momentos de lazer e relacionamentos com a família.

Assim, são dois transtornos extremamente graves, porém, difíceis de serem identificados e, inclusive, de se estabelecer o nexo com o trabalho, devido à complexidade dos sintomas. Além disso, são a segunda maior causa de adoecimento relacionado ao trabalho, perdendo apenas para a LER/DORT.

Estresse pós-traumático

Trata-se de um transtorno de ordem psicológica, muito comum entre profissionais que são expostos a situações de risco, como os seguranças, chamado TEPT — Transtorno de Estresse Pós-Traumático.

O TEPT é desencadeado por uma situação de risco real a que o trabalhador foi exposto ou, até mesmo, por uma ameaça. Existem registros, inclusive, de trabalhadores que desenvolveram por terem presenciado um acidente de trabalho ou escutado um determinado colega contar uma história sobre uma situação ameaçadora, sem nem ao menos ter vivenciado ou visto o caso.

Assim, as pessoas que desenvolvem TEPT têm sintomas como a revivência da situação repetidamente. Isso é mais forte do que uma simples lembrança, o que significa que o trabalhador, efetivamente, revive a passagem em sua mente diversas vezes por dia, desencadeando sofrimento psíquico e sintomas físicos, como falta de ar e taquicardia.

Dorsalgias

A dorsalgia se refere a um tipo de doença ocupacional que acomete a musculatura e a estrutura óssea das costas de trabalhadores. Ela também pode acometer as articulações e nervos ligados à coluna vertebral, causando dores de diferentes intensidades e constância.

Ainda, as atividades que causam, com maior frequência, esse tipo de problema são as relacionadas com a movimentação de cargas. É importante destacar que essa é a quinta maior causa de afastamento do trabalho por mais de 15 dias, sendo superada apenas por casos de fratura.

Dicas para prevenir doenças ocupacionais

Até aqui, vimos apenas algumas das doenças ocupacionais que podem ser desenvolvidas pelos colaboradores da sua empresa. Logo, o melhor remédio, como sempre, é a prevenção! Descubra agora algumas dicas importantes para investir nesse aspecto dentro do seu negócio:

  • faça um diagnóstico dos riscos relacionados ao trabalho dentro da empresa, tanto físicos quanto psicossociais;
  • dê assistência para que os colaboradores procurem ajuda no caso de sinais de qualquer doença ocupacional;
  • converse com a equipe para identificar pontos críticos, relacionados ao desenvolvimento de transtornos mentais no trabalho;
  • invista em programas de qualidade de vida e de saúde do trabalho;
  • revise as normas de saúde e segurança do trabalho, principalmente as NRs, garantindo o cumprimento de todas elas;
  • garanta a ergonomia no ambiente de trabalho;
  • conte com uma consultoria especializada para auxiliar nas ações a serem realizadas.

Agora você já sabe um pouco mais sobre o panorama das doenças ocupacionais no Brasil, quais são as principais e como iniciar o processo de prevenção. Para tanto, é essencial ter sempre a saúde e segurança do trabalho como prioridades dentro da empresa. Afinal, essa é uma responsabilidade e, inclusive, obrigação de qualquer organização.

Quer começar agora mesmo o seu programa de prevenção? Então, entre em contato com a SAFE e descubra como podemos ajudar você e seus trabalhadores!

Gostaria de saber mais sobre a SAFE? Então visite nosso site no endereço www.safesst.com.br.

Autor

Escreva um comentário