Riscos e consequências da jornada excessiva de trabalho

No mercado de trabalho atual e bastante competitivo, o bom e velho emprego das nove às cinco parece algo raro. Os recrutadores de hoje deixam claro que, embora não esteja declarado no contrato, ficar no trabalho depois do horário programado é algo que geralmente é muito valorizado pelos gestores. Porém, devido às consequências da jornada excessiva de trabalho, é essencial resguardar o bem-estar do funcionário.

Não podemos deixar de falar que a legislação trabalhista determina vários limites com relação à jornada de trabalho, e que eles, se mal administrados, são motivos de frequentes processos trabalhistas. A CLT determina, por exemplo, o limite máximo de duas horas extras diárias, o que constantemente não é cumprido pelas organizações, criando uma enorme quantidade de processos na justiça.

Neste post, falaremos sobre as consequências e riscos desse cenário para o empregador. Boa leitura!

Consequências jurídicas para o empregador

A jornada de trabalho jamais pode afetar a saúde do colaborador, assim como diminuir sua qualidade de vida ou fazer com que ele perca o convívio familiar e social, sendo necessário que a empresa esteja atenta, inclusive fazendo uso de sanções autorizadas por lei, como suspensões e advertências, a fim de que se cumpra a jornada de trabalho que está em contrato.

De acordo com a legislação trabalhista vigente, a regra determina um período de trabalho de 8 horas por dia e 44 horas por semana no máximo — conforme o artigo 58 da CLT —, com algumas exceções.

Já no artigo 59 da CLT, a duração do trabalho poderá sofrer acréscimo de horas suplementares, não excedendo 2 horas, mas essa possibilidade apenas pode acontecer caso haja um acordo escrito entre trabalhador e empregador ou, ainda, por meio do contrato coletivo de trabalho.

Baixa produtividade do empregado

Trabalhar horas extras afeta o desempenho e a produtividade dos funcionários de maneira negativa. Muito trabalho leva ao estresse e à fadiga, causando uma queda nas habilidades cognitivas. Obviamente, esse declínio levará a uma baixa na produtividade, pois o funcionário demorará mais para realizar sua tarefa.

O fato é que a produtividade cai imediatamente após o início das horas extras e continua caindo, até que, aproximadamente em 8 semanas de 60 horas, o trabalho total realizado é o mesmo que teria sido feito em 8 semanas de 40 horas.

Conflitos em relações pessoais e de trabalho

Longas jornadas de trabalho tomam nosso tempo para a vida social. O relacionamento com os entes queridos pode ser prejudicado. Além disso, o estresse do excesso de trabalho não é saudável para nenhum membro da equipe. Ele deixa a pessoa irritada e com menos concentração.

Todos nós sabemos que precisamos de um descanso adequado, a fim de que seja possível um melhor relacionamento com o resto do time. A questão é que um gestor não quer um funcionário estressado ou emocionalmente instável, devido ao fato de estar exausto.

Impactos negativos na saúde física e mental do empregado

Horas extras excessivas podem levar ao absenteísmo, resultado de problemas de saúde, fadiga ou funcionários simplesmente precisando de uma folga do trabalho. Frequentemente, as ausências precisam ser cobertas por funcionários substitutos, muitas vezes trabalhando horas extras e perpetuando o problema.

Trabalhar muitas horas pode definitivamente prejudicar a saúde física do funcionário, mas não é aí que terminam os efeitos negativos. De acordo com pesquisas, longas jornadas de trabalho têm a mesma probabilidade de afetar a saúde mental e provavelmente estão relacionadas a menos tempo para relaxar e dormir.

Por mais que o “ditado popular” possa dizer que trabalhar duro é sempre a melhor forma de obter resultados, não precisa ser exatamente assim. Agora que você já conhece as consequências da jornada excessiva de trabalho, o próximo passo é encontrar um equilíbrio.

A verdade é que é muito importante ter a preocupação com o bem-estar dos colaboradores, e a redução ou otimização da jornada ligada à saúde traz muitos benefícios para a empresa.

Nosso post foi útil para você? Para complementar seu conhecimento, leia também “Gestão de segurança do trabalho: confira 3 dicas de eficiência.“!

Se você quiser saber mais sobre a SAFE, visite nosso site no endereço www.safesst.com.br. Caso queira entrar em contato diretamente conosco, clique aqui.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

4 Comentários

  1. Bom dia gostei muito ler essas informações que diz respeito de sst ,eu sou técnico de HSST trabalho na companhia de sena grupo tereos de Moçambique açucareira de Moçambique,gostaria aínda mais publicarem mais informações sobre a safety,grato

    1. Prezado Alberto. Obrigado pelo seu comentário. Ficamos muito felizes que você gostou. Você pode conhecer mais sobre a SAFE visitando nosso site no endereço http://www.safesst.com.br e pode encontrar muito mais material sobre Saúde Ocupacional, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente acessando nosso blog a partir do nosso site ou acessando o endereço https://blog.safesst.com.br/. Grande abraço

  2. Qual a fonte dessa informação ?

    1. Olá Zuinglio, boa tarde. Como há informações referentes à legislação e outras médicas nesse post, nos baseamos em várias fontes. Que informação especificamente você está se referindo?

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.