O programa 5s na segurança do trabalho não é uma novidade. O modelo apresenta diversos benefícios para o ambiente corporativo, além de garantir a ordem produtiva por meio de uma metodologia consistente e de fácil assimilação. Entre as vantagens que a aplicação traz, podemos citar:

  • local organizado, itens bem distribuídos e limpeza;
  • maior produtividade e qualidade no desempenho;
  • maior engajamento dos colaboradores;
  • naturalização de ações preventivas que evitam acidentes e incidentes.

Sendo assim, é muito importante que quem cuida do setor de Segurança de Trabalho conheça a metodologia, a fim de aplicar e colher os melhores resultados possíveis. Que tal se inteirar sobre o assunto? Continue lendo e veja sobre o que o método fala e como ele se aplica à Segurança do Trabalho!

Programa 5s na segurança do trabalho

A metodologia japonesa 5s é uma ferramenta da boa gestão, cujos “s” derivam de expressões norteadores para cada pilar do método:

  • seiri (sobre eficiência nos processos);
  • seiton (sobre ordem na produção);
  • seiso (sobre limpeza, saúde e bem-estar);
  • seiketsu (sobre as políticas internas);
  • shitsuke (sobre o compromisso com o cumprimento do sistema).

Ao organizar um ambiente e desenvolver essa cultura coletiva — de boa utilização, boa distribuição, limpeza, entendimento das normas, disciplina na aplicação dos protocolos etc. —, o local se torna mais seguro e harmonioso, de forma que o bem-estar impera e os resultados logo aparecem. Vejamos a seguir um pouco mais sobre cada aspecto!

Senso de utilização

O senso de utilização (seiri) rege um ambiente de trabalho enxuto. Em outras palavras, é sobre como os recursos são disponibilizados e utilizados. É importante pensar na eficiência dos processos, não apenas focando em seu resultado final, mas em como os recursos são aproveitados durante a conquista desse resultado.

Sendo assim, é fundamental ficar de olho nos procedimentos e materiais, de maneira que tudo que é excesso, acúmulo ou dispensável seja eliminado. Nesse contexto, o que não é útil está apenas atrapalhando. Otimize o fluxo de trabalho passando um “pente fino” nos ambientes e mapeando procedimentos para eliminar gargalos operacionais.

Senso de organização

O senso de organização (seiton) fala sobre a parte física do ambiente de trabalho, ou seja, é sobre organizar o ambiente em aspectos como: a mobília, o layout do local, a distribuição de maquinário etc. O arranjo físico faz diferença em como as pessoas se relacionam com o ambiente.

Sendo assim, é essencial contar com uma organização que favoreça o fluxo de trabalho e o bem-estar coletivo. Se você não opera no dia a dia, é importantíssimo fazer um levantamento do que pode ser melhorado a partir da visão de quem usa o espaço constantemente. Pesquise e aplique melhorias.

Senso de limpeza

O senso de limpeza (seiso) é sobre a higienização correta do ambiente; no entanto, dando um passo a mais nesse pensamento, é também sobre conscientizar todos os que se utilizam do espaço acerca da importância de colaborar ativamente na manutenção da limpeza.

É função da segurança do trabalho incentivar e cultivar essa mentalidade entre todos. Além disso, manutenção e limpeza pesada também precisam ser fiscalizadas: ventiladores, ar-condicionado, dedetização, enfim: elimine os riscos!

Senso de normalização

O senso de normalização (seiketsu) é uma das partes mais importantes da segurança do trabalho: a adequação aos regimentos, leis e normas para o bom desempenho da equipe e saúde de todos no trabalho.

Sendo assim, mantenha-se sempre atualizado e busque frequentemente a melhoria. Supervisione o time operacional, incentive o uso dos equipamentos de segurança, acione manutenções preventivas, invista em palestras etc.

Senso de disciplina

O senso de disciplina (shitsuke) tem muito a ver com a normalização; eles se complementam. Uma vez que você adéqua tudo às normas e deixa o ambiente limpo e organizado, é muito importante incentivar a equipe a seguir os procedimentos propostos.

Para isso, crie programas de reconhecimento. O diálogo aberto também é fundamental. As pessoas precisam entender como é o programa 5s na segurança do trabalho e quais mudanças são fruto de sua implementação. Concluindo, a mudança deve ser real: explique, incentive, reconheça, corrija, mensure, analise, comunique e mostre os resultados.

Não se esqueça também de se manter sempre por dentro de orientações como esses: curta nossa página no Facebook e acompanhe os melhores tópicos!

Se quiser saber mais sobre a SAFE, visite nosso site no endereço www.safesst.com.br. Caso queira entrar em contato diretamente conosco, clique aqui.

Autor

Escreva um comentário

Share This