A preocupação com a segurança do trabalho é um item que vai além das questões relacionadas com os riscos aos quais os colaboradores estão expostos no dia a dia. Se a ideia é a busca pela prevenção desses problemas, em primeiro lugar é preciso identificar que possíveis causas de transtornos podem ocorrer nesses locais.

Para isso, é imprescindível elaborar um mapa de riscos ambientais para auxiliar na prevenção de acidentes e na preparação de estratégias para minimizar a probabilidade de que aconteçam.

Neste post, você vai entender melhor o que é um mapa de riscos e o benefício de utilizá-lo, assim como aprender a identificar e a classificar os riscos. Confira!

Mapa de riscos ambientais

É uma representação gráfica do local de trabalho onde a identificação dos riscos, aos quais os funcionários estão submetidos cotidianamente, é representada por círculos e a classificação é dada através dos seus tamanhos e de suas cores.

Nele devem conter todos os pontos de risco após um levantamento de informações minucioso e preciso. Todas as áreas precisam estar representadas e mapeadas — o que inclui os banheiros, salas de reuniões, refeitórios, corredores, etc.

É extremamente importante frisar que a presença desse mapa é uma exigência do Ministério do Trabalho — instituída pela NR-5 — e a elaboração dele é dever das CIPAs.

Benefícios do mapa de riscos ambientais

Ter um mapa de riscos ambientais é essencial para identificar os pontos críticos que podem levar a acidentes de trabalho — desde os mais simples aos mais sérios e que levariam a problemas tanto para o colaborador quanto para o empregador.

Esse mapeamento também é útil para traçar estratégias que podem minimizar os riscos a curto e a longo prazo. É claro que não é possível evitar todos os problemas, mas é possível encontrar soluções que protejam os funcionários e diminuam suas consequências, caso ocorram.

Locais com substâncias químicas perigosas, por exemplo, merecem atenção para evitar o armazenamento e a manipulação inadequada — que podem colocar o colaborador responsável e os demais colegas em risco. Através dessa identificação, você conseguirá estudar soluções para minimizar os riscos de acidentes.

Outro ponto positivo está relacionado ao melhor conhecimento do ambiente de trabalho e o entrosamento com as equipes. Isso porque, ao realizar o levantamento, será necessário entrevistar os trabalhadores para compreender a quais situações eles ficam expostos no dia a dia.

Por fim, conscientes dos problemas e do grau de risco, os funcionários que exercem atividades no local poderão agir de forma a evitar problemas que coloquem a sua saúde e integridade física em risco.

Identificação e classificação dos riscos

A identificação e classificação adequadas dos riscos existentes no ambiente de trabalho são fatores importantíssimos. Para realizar esse levantamento, é essencial ter uma planta baixa do local de trabalho. Caso não tenha acesso a ela, você pode elaborar um esboço, que chamamos de croqui, semelhante ao ambiente de trabalho, em programas de edição no computador, por exemplo.

As cores dos círculos estão relacionadas com o grupo de risco ao qual estão ligados e o tamanho deles sobre o nível de gravidade, como é possível ver a seguir:

  • físicos (cor verde): calor, frio, pressão, umidade local, vibrações e ruídos;
  • biológicos (cor marrom): presença de seres vivos como fungos, vírus, bactérias e protozoários, bem como manipulação de conteúdos biológicos — como sangue, por exemplo;
  • químicos (cor vermelha): substâncias tóxicas, gases, névoas, partículas, poeiras e compostos químicos em geral;
  • ergonômicos (cor amarela): riscos relacionados à postura e comportamento do funcionário, tais como esforço físico, posição inadequada de trabalho, tarefas repetitivas e outros fatores que possam causar problemas físicos e psicológicos;
  • acidentes (cor azul): situações que favorecem o risco de acidentes no local, como chão irregular, iluminação ruim, risco de incêndio ou explosão, piso escorregadio, problemas elétricos, ferramentas defeituosas, entre outros.

Em relação aos círculos, é preciso ter em mente que eles não necessariamente deverão possuir uma única cor. Sendo assim, é possível que haja um risco que seja químico e de acidentes ao manipular gases explosivos, por exemplo.

Como você pode notar, o mapa de riscos ambientais é um documento extremamente importante tanto para a segurança do local quanto para a integridade física dos funcionários que trabalham nela.

E aí, gostou do conteúdo desse artigo? Então agora aproveite para conferir um artigo especial que desenvolvemos com 5 motivos para contratar uma consultoria em gestão de riscos!

Autor

Escreva um comentário

Share This