Entenda como é feita a avaliação ergonômica nas empresas

As diversas condições do ambiente de trabalho, onde opera o funcionário, podem afetá-lo de diferentes maneiras. Os possíveis efeitos provocados pelas posturas adotadas na execução de tarefas, entre outras condições, são levantados e analisados em uma avaliação ergonômica.

Do mesmo modo, condições laborais que influem no bem-estar psicológico e moral do colaborador também são consideradas na análise. Mas como é feita essa avaliação?

Continue neste post e entenda de que forma é realizada uma  avaliação ergonômica.

O que é avaliação ergonômica?

A avaliação ergonômica do trabalho é um estudo previsto na Norma Regulamentadora No 17 (NR-17), do Ministério do Trabalho e Emprego. Trata-se, sobretudo, de avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas do funcionário.

Na prática, é executada uma análise do local de trabalho e da forma como as atividades são desenvolvidas. O objetivo é verificar se existem instalações, posturas, procedimentos ou qualquer outra variável do ambiente de trabalho que represente risco de dano físico, psicológico ou moral para o funcionário.

Qual a sua importância?

A avaliação ergonômica do trabalho importa, em especial, para a garantia da qualidade de vida do colaborador. Nesse sentido, é capaz de identificar situações de desconforto e de ausência de bem-estar, assim como evitar acidentes que resultam da constância de condições inadequadas.

O melhor resultado que se pode esperar da realização de uma avaliação é a adequação corretiva do ambiente de trabalho e dos respectivos procedimentos adotados. Com isso, as condições inadequadas são corrigidas, investindo-se em conforto e na segurança.

Como é feita?

A elaboração de uma avaliação ergonômica requer um convívio direto com o ambiente de trabalho, a fim de colher registros das diversas situações envolvidas e dos comportamentos adotados pelos trabalhadores. Desse modo, podem ser necessários alguns dias de observações.

Para fins de elaboração de uma avaliação ergonômica, podem ser seguidas algumas metodologias existentes e adotadas em vários países. De modo geral, no entanto, pode-se considerar que 3 fases constituem o trabalho avaliativo.

Análise ergonômica da demanda e da tarefa

Esta é uma etapa primordial, uma vez que nela se busca a compreensão dos motivos que levaram à necessidade da avaliação. Na verdade, o ambiente de trabalho é avaliado juntamente com a tarefa desenvolvida.

Assim, são analisadas as condições dos ambientes físicos envolvidos e também as condições posturais do funcionário durante a execução das tarefas que lhe são atribuídas. Nesse sentido, são apreciados o ritmo, o método, os equipamentos utilizados, as posturas adotadas, entre outros.

Análise dos aspectos psicológicos

Nesta etapa, verifica-se a existência de alguma variável do ambiente de trabalho que por sua natureza possa prejudicar a condição mental e moral do funcionário.

Análise ergonômica das atividades

Esta terceira etapa da avaliação é constituída pela observação dos comportamentos dos trabalhadores durante a execução de uma determinada tarefa. Assim, ao se observar como trabalham, podem ser registradas influências externas e internas na maneira de operar.

Agora você já sabe como é feita uma avaliação ergonômica nas empresas.

Se gostou deste post, entre em contato conosco e saiba tudo o que precisa sobre saúde e segurança do trabalho.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.