Algumas atividades profissionais oferecem riscos físicos. Essa é uma questão que deve ser tratada como prioridade pelos empregadores a fim de diminuir a probabilidade desses riscos se transformarem em acidentes ou provocarem danos a saúde do colaborador e comprometerem a produtividade dos negócios.

Pensando nisso, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) publicou a Portaria 3.214 em 8 de junho de 1978. O documento firma algumas normas reguladoras que consolidam a legislação trabalhista relacionada à segurança do trabalho, entre elas a NR-9 e a NR-15.

A ideia do MTE foi incluir os riscos físicos dentro do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, o PPRA, “visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho”. Saiba mais sobre essa importante estratégia agora.

O que são riscos físicos

Os riscos físicos são aqueles que precisam do ar para se propagar mecanicamente, diferentemente dos riscos biológicos ou químicos, por exemplo. As normas reguladoras definem os tipos. Conheça:

Vibrações

Algumas funções causam problemas de saúde devido à exposição ocupacional às vibrações em mãos, braços ou no corpo inteiro.

Por isso, “os empregadores devem adotar medidas de prevenção e controle da exposição às vibrações mecânicas que possam afetar a segurança e a saúde dos trabalhadores, eliminando o risco ou, onde comprovadamente não houver tecnologia disponível, reduzindo-o aos menores níveis possíveis”, afirma o anexo 1, item 1.1 da NR-9.

Ruídos

Outro fator de risco advertido pelo Ministério do Trabalho são os ruídos. Eles podem ser contínuos, intermitentes e variáveis.

Em geral, não devem ultrapassar os 85 decibéis, pois podem causar surdez temporária ou permanente, além de outros problemas, como irritabilidade, aumento de pressão sanguínea e dificuldades de concentração.

A prevenção é relativamente simples com a distribuição de EPI (equipamentos de proteção individual) e, quando possível, o isolamento da fonte de ruídos.

Temperatura

Frio extremo ou calor excessivo trazem grandes danos ao colaborador. O primeiro pode provocar feridas, necroses, doenças respiratórias e reumáticas. Já o segundo pode acarretar desidratação, fadiga, distúrbios circulatórios, insolação e desmaios.

Solucionar ambos exige que o gestor forneça roupas e acessórios adequados para as baixas temperaturas, isolamento da fonte de calor e ventilação adequada.

Umidade

Um ambiente de trabalho alagado pode provocar quedas, deslizamentos, doenças no sistema respiratório e contaminações na pele.

Prevenir esse incômodo é possível com a distribuição de equipamentos específicos para isolar a água, como aventais, botas de borracha, luvas e outros instrumentos que minimizem os riscos físicos no trabalho.

Hiperbáricos

Algumas condições hiperbáricas, quando a pressão é maior que a do ar atmosférico, podem ocasionar o rompimento do tímpano ou, em condições extremas, levar o funcionário ao óbito por causa da liberação de nitrogênio na corrente sanguínea. É imprescindível a descompressão do ambiente.

Radiações

Aparelhos de radioterapia, raios X, ultravioleta, micro-ondas e máquinas a laser resultam em problemas de pele e nos olhos.

A longo prazo, a exposição às radiações ionizantes e não ionizantes geram doenças graves no trabalhador e até mesmo nas gerações seguintes, como filhos e netos.

O setor é tão importante que existem até outras normas ditadas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear.

Como não comprometer a produtividade

Os riscos físicos comprometem a produtividade, quando eles se transformam em danos a saúde ou acidentes aumentando o absenteísmo ou deixando o ambiente inseguro afetando a segurança da equipe ou tirando o foco do colaborador. Por conseguinte, é relevante tomar todas as medidas preventivas. E colocar em prática uma gestão de riscos não é uma atividade simples, pois requer esforço contínuo e planejamento bem estruturado.

Diante disso, é crucial não cometer erros que possam colocar a sua empresa em maus lençóis. Uma das formas seguras de evitar isso é a utilização de empresas especializadas em soluções de saúde e segurança do trabalho para que elas possam aconselhar, planejar, auxiliar na implementação dos programas ou planos de ações focados nesse tema bem como treinar, atualizar, preparar, educar e reciclar os conhecimentos de toda a otrganização.

Avaliar e diminuir os riscos físicos no trabalho é a maneira mais eficaz de potencializar resultados de desempenho, financeiros, de redução de acidentes, de formação de consciência e de uma cultura de saúde e segurança. Continue lendo sobre como a avaliação ambiental contribui para o sucesso do seu negócio.

Autor

Escreva um comentário

Share This