Estamos sendo inundados com informações, algumas pertinentes e muito importantes, outras mais oportunistas e sem muita credibilidade com relação ao coronavírus, à COVID-19, como se comportar, novas práticas e hábitos, distanciamento social, uso de máscaras, luvas, higienização mais frequente e mais eficaz, enfim, muitas alterações no nosso dia-a-dia enquanto ficamos em casa.

Mas e na hora de retornarmos ao nosso trabalho? O que precisamos fazer para nos prevenirmos, mas também respeitarmos nosso colega preservando nossa saúde e a dele? E você, como empresário, o que deve promover em sua empresa para tentar garantir essa segurança para seus colaboradores?

Se tiver interesse nesse assunto e quiser saber como estruturar um programa para o retorno ao trabalho durante a após a pandemia, continue a leitura.

Comunicação

Muitas empresas têm essa área bem estruturada, outras nem tanto e algumas dedicam pouco ou nenhum tempo e esforço para esse assunto.

Em virtude dessa situação ser inédita para muitos e ser muito nova e dinâmica, é de crucial importância que seja estabelecido um canal bidirecional específico para o assunto com informações atualizadas.

Por ser bidirecional, deve, também, prover um suporte para quem tem dúvidas ou necessite de informações mais específicas, ou seja, o processo de Comunicação deve ser estabelecido ou revisado dentro da organização.

Compromissos e responsabilidades

Normalmente as organizações dedicam tempo e esforço para estabelecer e documentar claramente as responsabilidades dos colaboradores no que diz respeito aos processos operacionais e os compromissos com os resultados a serem obtidos como produto desses processos.

No caso do Programa de Retorno ao Trabalho o que estamos querendo estabelecer, documentar e divulgar são os compromissos de cada colaborador com a preservação da vida, com a sua segurança e com a sua saúde e de seu colega e as responsabilidades de cada papel dentro da empresa pois só com o engajamento de todos essa difícil situação será superada.

Protocolos

Normalmente para realizar nossas atividades profissionais rotineiras, seguimos processos e procedimentos operacionais. Aqui, quando falamos em protocolos, estamos adicionando outros cuidados e procedimentos visando a prevenção e a não contaminação. Entendemos que existam a princípio 3 tipos de protocolos, quais sejam:

  • Protocolo Interno: que visa práticas a serem adicionadas para as atividades internas, ou seja, entre colaboradores da organização dentro do estabelecimento da empresa;
  • Protocolo Externo: é constituído de medidas a serem observadas e seguidas em atividades externas tais como vendas, entregas, entre outros. Como boa prática, também podemos colocar nesse item orientações sobre atitudes, hábitos e comportamentos que o colaborador deve ter na sua vida pessoal para se prevenir e proteger sua família com relação à contaminação;
  • Protocolo Misto: quando a atividade coloca frente a frente pessoas da organização e pessoas de fora da mesma (atendimento ao público, contato com terceiros, fornecedores, etc).

Esses protocolos englobam procedimentos e práticas que abrangem medidas coletivas e individuais, cuidados com a higiene pessoal e do ambiente de trabalho (mesas, cadeiras, máquinas e equipamentos, entre outros), distanciamento mínimo entre os colaboradores, uso adequado de EPIs e EPCs, procedimentos a serem seguidos em caso de suspeita de contaminação, etc.

Treinamento

Como falamos no início desse post, a comunicação é um fator de crucial importância na estratégia de superação dessa pandemia.

Por esse motivo, o treinamento também assume um papel importantíssimo, pois além de disseminar informações operacionais, que englobam o uso de EPIs e EPCs, por exemplo, que foram bastante modificadas em virtude da situação, para possibilitar ao colaborador exercer suas atividades com a maior segurança possível, também é responsável por atualizar e repassar conhecimento sobre o desenrolar da pandemia.

Acompanhamento

Para que possamos extrair o melhor benefício possível das alterações realizadas nos processos, é importantíssimo que realizemos periodicamente o acompanhamento dos resultados oriundos dessas alterações.

Para isso é importante o estabelecimento de indicadores, de metas para os mesmos, forma e periodicidade de coleta de dados, análise e, se necessário, implementação de correções para que os objetivos sejam alcançados.

Feito isso, entendemos que teremos um programa eficaz e devidamente gerenciado, objetivando a segurança e a saúde dos colaboradores e um retorno ao trabalho tranquilo e saudável.

Se você quiser saber mais sobre a SAFE, visite nosso site no endereço www.safesst.com.br. Caso queira entrar em contato diretamente conosco para saber como podemos te ajudar nessa questão, clique aqui.

Autor

Escreva um comentário

Share This