Algumas das maiores preocupações dos gestores estão relacionadas aos perigos atinentes à saúde ocupacional, segurança do trabalho e, até mesmo, ao meio ambiente. Mas é plenamente possível minimizá-los com uma gestão de riscos adequada e eficiente. Assim que uma pessoa assume um cargo de maior responsabilidade dentro da empresa, a preocupação com o bem-estar e a integridade física dos colaboradores aumenta muito.

Nem todos os administradores conhecem as vantagens dessa gestão, como também não sabem como ela deve ser implementada. Porém, aqueles que se aprofundam no assunto conseguem reduzir os riscos das atividades, auxiliando no desenvolvimento sustentável da organização. Se você deseja saber mais sobre o assunto, continue lendo este artigo que explicamos o que é essa gestão, suas vantagens e como aplicá-la no seu ambiente de trabalho.

O que é gestão de riscos?

gestão de risco pode ser definida como um processo no qual são desenvolvidas estratégias para planejar, organizar e direcionar os recursos, tanto materiais quanto humanos, de modo que a probabilidade do risco se transformar em realidade diminua.

É verdade que correr riscos está relacionado à possibilidade de algo dar errado. Por isso, é extremamente importante tomar ações que diminuam — ou eliminem — os riscos associados a uma determinada tarefa. Para entender melhor, veja alguns exemplos de tipos de riscos possíveis:

  • de acidente de trabalho ou ambiental;
  • de doenças ocupacionais;
  • de problemas de projeto;
  • de problemas em insumos;
  • de processos trabalhistas;
  • de perdas de estoque;
  • de problemas causados pelos fornecedores;
  • de processos judiciais;
  • de perda de funcionário-chave na entidade;
  • entre outros.

Entendemos que a gestão de riscos é uma matéria abrangente, que permeia praticamente todas as áreas das empresas e por esse motivo bastante vasta. Focaremos aqui, em riscos que tenham uma relação forte com saúde ocupacional, segurança do trabalho e meio ambiente e suas consequências.

Como fazer uma boa gestão de riscos?

Uma técnica muito eficiente para um gerenciamento de riscos bem-sucedido é a BBS (Behavior Based Safety), algo como segurança baseada no comportamento, em tradução livre. Por meio dela, são adotadas medidas que previnem os acidentes, eliminando muitos problemas antes mesmo que eles aconteçam. Para implementar essa técnica de forma eficiente, é necessário seguir os passos listados abaixo.

Identificação e análises

A primeira etapa é realizar um estudo minucioso sobre o negócio, entendendo as suas vulnerabilidades e fragilidades. Como também identificar o contexto do cenário do empreendimento, se ele está em fase de amadurecimento, crescimento, expansão ou consolidação. Posteriormente, o responsável deve realizar dois tipos de análises dos riscos:

  • qualitativa: compreender o funcionamento dos processos e das atividades da empresa;
  • quantitativa: enumerar os riscos, seus potenciais impactos e danos.

Treinamento e conscientização

Para entender a importância desse passo, pense no seguinte: do que adianta uma empresa fornecer os melhores equipamentos de proteção individual se os colaboradores não sabem por que e nem como utilizá-los? A melhor forma de prevenir os acidentes é ter um pessoal bem treinado e conscientizado dos riscos que uma tarefa, ou mesmo, uma atitude insegura pode oferecer.

Análise dos acidentes e incidentes

Depois que ocorrer um acidente ou incidente, sua causa deve ser identificada. Para ser eficiente nesse ponto, podem ser implementadas algumas técnicas que ajudam a encontrar a raiz do problema. Um dos métodos mais utilizados para esse fim é a “Árvore de Causas”.

Ao fazer isso, você poderá desenvolver planos de ações e, até mesmo, adotar pequenas atitudes que evitem colocar em risco o seu pessoal e o meio ambiente. Essas informações poderão de ser obtidas a partir das conclusões tiradas das análises, pois se atuarmos na causa raiz, a probabilidade de eliminarmos o risco aumenta muito.

Alteração de processos, práticas e comportamentos

Logo após identificar os riscos e analisar os acidentes e incidentes para encontrar suas causas raízes, muitas vezes, os processos, as práticas e os comportamentos dentro de uma empresa precisam ser revistos e adequados. A Organização Internacional de Normatização (ISO) emitiu a norma OHSAS 18001, que trata sobre o tema.

Essa norma tem enfoque na Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional, um dos seus requisitos é o gerenciamento de perigos e riscos em relação ao colaborador e a empresa. Por essa razão, ela é usada como parâmetro para alteração de processos na organização. Quando tiver definido o que precisa ser alterado, trabalhe nos processos e capacite seus colaboradores para se adaptarem à nova maneira de trabalhar.

Monitoramento

Após realizar as mudanças nos processos, resta monitorá-los para averiguar se os resultados desejados estão sendo alcançados. A organização pode adotar diferentes métodos, como indicadores de desempenho (KPI), relatórios, controles sistematizados etc. Existem inúmeras formas de fazer isso. O importante é que haja esse monitoramento a fim de acompanhar a performance dos processos alterados.

Quais são algumas vantagens ao implementar uma gestão de riscos?

Prevenção de perdas

As perdas aqui tratadas são, ao final do processo, financeiras, pois, sem uma análise de risco a empresa pode arcar com um grande prejuízo e de difícil reparação. Por exemplo, a entidade lança um produto no mercado sem um estudo sobre seus riscos, além de aumentar a probabilidade de fracasso, a empresa ainda corre o risco de ter de não conseguir compensar o investimento ao lançá-lo, bem como de arcar com multas e sansões por fazê-lo.

Aumento da margem de lucro

Tentar solucionar uma ameaça, que já está instalada na empresa, é mais custoso que prevenir seu acontecimento. Pois, deve-se compensar os danos ou indenizar os prejudicados. A gestão auxilia no aumento dos lucros ao reduzir os gastos com os danos. Quanto mais cedo a falha for identificada (no projeto por exemplo), mais barata é sua correção.

Otimização dos recursos

Ao identificar os riscos, é possível gerenciar os recursos — sejam eles humanos, tempo, capital ou materiais — de forma que eles sejam utilizados de forma mais eficiente, como também podemos definir processos mais eficazes, seguros e produtivos.

Aumento da eficiência

Diminuir os riscos também aumenta a eficiência, pois se elimina vários entraves às atividades dos colaboradores e melhora as condições e qualidade de vida no trabalho, o que também aumenta sua produtividade e sua satisfação ao produzir determinado produto.

Cumprimento da lei

Existem muitas normas que devem ser aplicadas em diversas áreas da empresa. Dentre essas destacamos as que versam sobre saúde ocupacional, segurança do trabalho e meio ambiente. Seguir essas normas é mandatório e minimiza os riscos da empresa ter que arcar com multas e outras penalidades, que podem até culminar na interdição de parte de toda uma empresa em razão do descumprimento da lei.

Vale a pena contratar uma empresa especializada em gestão de riscos?

Analisar, identificar e desenvolver os passos necessários para implementar essa gestão, é uma tarefa desafiadora para a liderança de uma empresa. Pois, não basta a boa vontade para alcançar esse objetivo, experiência e conhecimento técnico são essenciais para gerenciar os riscos. Contar com pessoal especializado, portanto, é uma ótima alternativa para solucionar os problemas relacionados à saúde ocupacional, segurança do trabalho, meio ambiente e se desenvolver de maneira sustentável.

A gestão de riscos é uma das ferramentas mais fortes para garantir a sobrevivência da empresa no mercado, principalmente, perante o aumento da competitividade e constantes cenários de instabilidade econômica e política que nosso país enfrenta.

Entre em contato com a SAFE e gerencie os riscos de sua organização com profissionais capacitados, experientes e especializados.

Quer saber mais sobre a SAFE, acesse www.safesst.com.br.

Autor

Escreva um comentário

Share This